destaque-a-equipe-code-queens-2024-desenvolveu-o-app-kids-world-foto-reproducao Notícias
Alunas que receberam mentoria em escola de tecnologia do ICMC chegaram nas fases mais avançadas da Technovation Girls com representantes nas três categorias em disputa
Data da publicação: 17/06/2024

Já imaginou ter na palma da mão ferramentas para lutar contra as consequências do bullying, combater o abuso sexual infantil, conectar jovens e idosos ao mercado de trabalho e incentivar o empreendedorismo feminino? São justamente esses os objetivos de quatro aplicativos desenvolvidos por meninas de 8 a 18 anos participantes da Technovation Summer School for Girls (TechSchool), escola de verão organizada pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.

As garotas criadoras dessas tecnologias compõem quatro equipes do projeto que foram classificadas para a semifinal da Technovation Girls, competição internacional que desafia jovens meninas a criarem aplicativos para solucionar problemas de suas comunidades. Treinadas durante a TechSchool, com apoio de estudantes de graduação da USP e de profissionais da indústria de software, elas conquistaram vagas em todas as categorias em disputa: iniciante (8-12 anos), júnior (13-15 anos) e sênior (16-18 anos), representando um terço de todos os times brasileiros classificados para a etapa.

Em sua 16ª edição, a Technovation Girls irá premiar aplicativos que utilizam inteligência artificial para resolver problemas enfrentados por determinado grupo ou população. Durante a TechSchool, que tem duração de 10 semanas, as meninas têm a oportunidade de trabalhar em equipe e, na categoria sênior, devem produzir também um plano de negócio. Essa construção vai desde a identificação da necessidade, passando pela geração de ideias até, finalmente, chegar à criação dos produtos digitais.

A professora do ICMC Lina Garcés, coordenadora do Grupo de Alunas de Ciências Exatas (GRACE), responsável pelo oferecimento da escola de verão, ressaltou a importância da conquista: “Ao longo dos seis anos em que tivemos participantes nesta competição, 2024 é o primeiro no qual chegamos à semifinal nas três categorias. É uma grande conquista da TechSchool, que não seria possível sem o apoio dos mentores voluntários que orientam de perto as equipes de meninas. Ainda temos mais um passo para dar, os projetos das nossas alunas serão avaliados internacionalmente. Estamos bem ansiosos, torcendo para que dê tudo certo e as equipes possam concorrer na final nos Estados Unidos”.

Já Isadora Ferrão, doutoranda do ICMC e uma das mentoras da TechSchool, destacou o talento das garotas envolvidas no desenvolvimento dos projetos. “Esses resultados de 2024 comprovam que as meninas brasileiras são geniais e só precisam dos instrumentos e da orientação correta para resolver problemas complexos da nossa sociedade. Temos grandes mentes aqui no nosso país, não precisamos olhar apenas para fora, temos que investir e acreditar. E os resultados estão aí para comprovar”, afirma.

Isadora é embaixadora da competição ao lado da também doutoranda Daniele Melo Santos Paulino. As duas deram apoio às equipes da TechSchool estando nesta posição.

Na categoria iniciante, a TechSchool teve a única equipe classificada entre os 18 times brasileiros que concorreram. Enquanto isso, na categoria Júnior, foram 34 equipes nacionais participantes, sendo que, novamente, o único grupo classificado foi o treinado no projeto do ICMC. Por fim, na categoria sênior, são duas equipes semifinalistas da TechSchool dentro de um universo de 125 times nacionais.

Os quatro projetos semifinalistas  – O projeto Jamais Bullying, da equipe We Are All One, concorre na categoria iniciante, e propõe uma ferramenta tecnológica, segura, amigável e eficiente para que qualquer criança vítima de bullying consiga ter apoio e atenção para lidar com o problema. De acordo com as criadoras, os usuários podem denunciar as agressões no aplicativo e a escola será comunicada. O Jamais Bullying também conta com materiais educativos para conscientizar o público sobre a prática e dicas de como combatê-la.

A equipe desenvolvedora é formada por Ana Laura Delmutti (São Paulo-SP), Helena do Canto Vargas (Porto Alegre-RS), Pietra Gama (Diadema-SP), Amora Andrade Antunes (Cotia-SP) e Sofia Betiol Lordes Pereira (São Paulo-SP). As mentoras são Lia Yumi Morimoto e Tânia Moreira.

Para conferir o aplicativo em funcionamento, basta acessar o vídeo disponível neste link: icmc.usp.br/e/87c99.

 

 

Integrantes da equipe We Are All One | Foto: Technovation Girls

 

 

Outro semifinalista, desta vez na categoria Júnior, é o aplicativo Kids World, da equipe Code Queens 2024, que visa lutar contra o abuso sexual de crianças. A partir de um jogo, usuários de 6 a 10 anos aprendem a identificar toques indesejados e a buscar ajuda com pessoas de confiança.

A equipe é composta pela dupla Emanuella de Souza Melo Paschoarelli (São Carlos-SP) e Sofia Petruz (Araras-SP). Os mentores são: Leonardo Andreatta de Alcantara, Christiane Martins Oliveira, Regina Moraes e Liggia Santos Lima.

Para conferir o aplicativo em funcionamento, basta acessar o vídeo disponível neste link: icmc.usp.br/e/be6e9.

 

 

A equipe Code Queens 2024 desenvolveu o app Kids World | Foto: Reprodução

 

 

Já na categoria Sênior, a equipe Generation Girls criou o aplicativo AFFECC, cujo objetivo é conectar jovens em busca da primeira experiência profissional com idosos ativos e cheios de conhecimento e experiência, criando um espaço para troca de habilidades, mentoria e aprendizado mútuo.

Nesse sentido, o AFFECC é uma porta de entrada para os jovens desenvolverem habilidades e networking profissional, enquanto ensinam os idosos a usar aplicativos e a explorar o mundo digital. Por outro lado, o projeto é um incentivo aos idosos para se manterem ativos e compartilharem seus legados.

As alunas que desenvolveram o aplicativo são: Alany Vitória (Recife-PE), Maria Gabriela Barbosa Rodrigues (Brasília-DF), Giovanna Rosa (Bragança Paulista-SP), Karol Libanio Pedraça Silva (Guarulhos-SP) e Isabela Piassi (São Carlos). As mentorias ficaram por conta de: Stefania Izá, Denise Czarnescki, Melrulim Camilo Lourenzetti e Deise Kinsk Reis Silva.

Para conferir o aplicativo em funcionamento, basta acessar o vídeo disponível neste link: icmc.usp.br/e/7864c.

 

 

Estudantes da equipe Generation Girls | Foto: Technovation Girls

 

 

Também na categoria sênior, a equipe Lady Covers desenvolveu o aplicativo Elas Empreendem. Na plataforma, mulheres encontram conteúdos educativos de fácil entendimento sobre empreendedorismo, podendo divulgar projetos de negócio para potenciais investidores e, dessa forma, alcançarem a mobilidade social e transformarem seus sonhos em empresas.

A equipe Lady Covers é composta por Lethicia Barros (Campinas-SP), Anny De Oliveira Barros (Barueri-SP), Maria Alice Nunes Ferreira (São Paulo-SP), Natália Soares (Campo Mourão-PR) e Pietra Carvalho (São Paulo-SP). Leonardo Silva, Isabella Segredo, Cristina Moreira e Rafaela Soares do Nascimento são os mentores.

Para conferir o aplicativo em funcionamento, basta acessar o vídeo disponível neste link: icmc.usp.br/e/1bfb7.

 

 

Meninas que criaram o aplicativo Elas Empreendem | Foto: Technovation Girls

 

 

Ainda em junho, as equipes treinadas na TechSchool do ICMC disputarão as semifinais da competição a nível continental contra times da América do Sul. Os melhores grupos de cada continente serão selecionados para participar da grande final da competição nos Estados Unidos, em outubro.

O valor da TechSchoolA Technovation Summer School for Girls é uma escola de verão 100% voluntária, que conta com a participação de estudantes de graduação e pós-graduação do ICMC e profissionais de várias áreas do conhecimento. “Todo esse trabalho voluntário, tanto das empresas patrocinadoras como dos mentores e da organização, é muito importante. Dá para ver que, com voluntariado e boas intenções, a gente está conseguindo resultados que são de destaque”, completa Lina.

A iniciativa estimula desde cedo a participação feminina nas ciências exatas e na tecnologia, dando condições para que as meninas se desenvolvam dentro dessas áreas. “Não se trata apenas de preparar as alunas para serem sucedidas na competição, mas também de prepará-las para solucionar problemas reais usando tecnologias. E os problemas que as alunas estão resolvendo são cada vez mais relevantes, como evidenciado pelos resultados desse ano”, finaliza a docente do ICMC.

Na TechSchool são atendidas meninas de 8 a 18 anos, de escolas públicas e particulares, de forma virtual. Por ser realizada remotamente, a atividade permite que as participantes sejam de qualquer região do Brasil. Na mais recente edição, 80 meninas de 22 estados brasileiros participaram da TechSchool, sendo que 80% são de escolas públicas.

 

Texto: Yves Vieira e Henrique Fontes, da Assessoria de Comunicação do ICMC/USP

 

Mais informações
Confira as 12 equipes brasileiras semifinalistas da competição Technovation Girls este ano:

www.technovationbrasil.org/post/brasil-tem-12-equipes-semifinalistas-em-2024-veja-a-lista

Saiba mais sobre a Technovation Summer School for Girls 2024: https://grace.icmc.usp.br/techschool2024/index.html
Conheça o Grupo de Alunas de Ciências Exatas (GRACE): https://grace.icmc.usp.br

Contato com a imprensa
Assessoria de Comunicação do ICMC/USP: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Telefone: (16) 3373-9666

CONECT WITH US
 

© 2024 Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação