900-6001 Notícias
Bate-papo online acontece na próxima quinta-feira, 25 de fevereiro, a partir das 19 horas, no canal ICMC TV do Youtube
Data da publicação: 22/02/2021

 

Prever qual será a futura mutação do novo coronavírus e onde ela surgirá. Essa meta está motivando o trabalho de muitas pessoas mundo afora. São profissionais que, em vez de consultar oráculos ou bolas de cristal, usam ferramentas científicas para isso, especialmente técnicas de inteligência artificial.

Um arsenal de recursos computacionais, matemáticos e estatísticos – que tempos atrás eram impensáveis –, hoje está disponível para os pesquisadores que investigam e constroem modelos preditivos. Para explicar como esses modelos são elaborados, o que já conseguem prever em relação a pandemias e também imaginar o que será possível em um futuro não muito distante, será realizado um bate-papo online na próxima quinta-feira, 25 de fevereiro, a partir das 19 horas.

“Em breve teremos condições de calcular a probabilidade de ocorrer uma mutação no RNA de um vírus. Então, é só uma questão de tempo para que essa informação seja usada em prol de evitar a expansão do novo coronavírus, por exemplo”, diz o professor Francisco Rodrigues, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.

 

 

Um spoiler do bate-papo, já que o tema é prever o futuro: Francisco Rodrigues explicará as diferenças entre os modelos preditivos de uma pandemia causada por um vírus e de uma pandemia acarretada por um vetor, como é o caso da dengue, em que um mosquito é o transmissor da doença. O professor também é pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI).

 

Ele é o convidado da sexta edição da série ICMC Ao Vivo: Diálogos Construtivos. Segundo Rodrigues, a grande vantagem de antecipar o que vai ocorrer com um vírus é propiciar à humanidade estar um passo à frente do inimigo. Isso permite desenvolver vacinas que já sejam eficazes para combater tanto o vírus original quanto suas variantes, bem como desenvolver novos medicamentos e realizar ações de isolamento social mais efetivas.

Além de explicar como os modelos preditivos são elaborados, detalhando a ciência de dados que há por trás das previsões, o professor também vai apresentar exemplos de vários estudos já realizados por ele e por outros especialistas. “Os métodos que utilizamos para prever uma epidemia são similares aos empregados para compreender como um boato se espalha em uma rede social. Nesses exemplos, estudamos a forma como se comportam, ao longo do tempo, dois sistemas dinâmicos: a sociedade e as redes sociais”, explica Rodrigues.

Ele revela que, apesar da imprevisibilidade ser uma característica sempre presente nesses sistemas, a ciência das redes complexas têm proporcionado importantes avanços na compreensão dos fenômenos dinâmicos, especialmente quando são utilizadas técnicas de inteligência artificial.

Gratuito e aberto a todos os interessados, o evento não demanda inscrições prévias e será transmitido pelo canal ICMC TV no Youtube. “Espero que as pessoas possam participar enviando perguntas durante o evento. Assim, teremos um bate-papo bem descontraído e informativo, em que aprenderemos um pouco mais sobre a ciência da inteligência artificial e a ciência das pandemias”, finaliza o pesquisador.

 

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC-USP

 

ICMC Ao Vivo – Bate-papo “A inteligência artificial salvará o mundo das próximas pandemias?”

Quando: quinta-feira, 25 de fevereiro, a partir das 19 horas

Onde: canal ICMC TV no Youtube, tv.icmc.usp.br

Convidado: Francisco Rodrigues, professor do ICMC

Mediação: Denise Casatti (jornalista)

 

Contato para esta pauta

Assessoria de comunicação do ICMC: (16) 3373-9666 (com WhatsApp) ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

CONECTE-SE COM A GENTE
 

© 2021 Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação